quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Ônibus lotado e Skype ligado


Queria se adiantar, colocar o tempo em ordem específica, mostrar exatamente o que aconteceu ao invés de meros relatos do que realmente aconteceu. Queria adiantar algumas pressas, não saber de alguns fatos que realmente não precisava saber, a verdade é que eu não sei por que me importo tanto. Colocar um lembrete importante nas mãos de uma desconhecida que se encontrava aos prantos, e em meio a isso conseguiu dar meio sorriso com o bilhete em mãos, se ao menos soubessem o que havia por trás do seu olhar, no mínimo cada um tomaria esta e outras atitudes, talvez bilhetinhos cairiam sobre seus ombros e a iluminação do ônibus finalmente teria uma utilidade cênica e as lágrimas um valor poético.
Imagino que deva ser conflituoso a mente lúdica saber de tantas soluções, saber tanto, mas tanto e passar o tempo tentando tentar, mas não chega a tentar achando que esta tentando.
Diz muitas coisas o tempo todo o que é o ser humano sem ego? Principalmente depois de ter feito uma pesquisa sobre egos, sobre o nome dos grandes atos de pessoas que praticaram grandes atos, pra se certificar de que não há em sí nada dessas sutis camadas em dosagens erradas.
Frequenta um quadrado caro com um espelho a sua frente, para se certificar de que não há erros de percepções da sua parte, assim pode dizer sobre erros de percepções de outras pessoas sabendo com toda certeza de que o seu ponto de vista está certo.
Vamos dizer por exemplo que ouro é natural, mas por ser enfatizado com “ambíceas” não brilha mais, pra mim se me vier com ouro vou dizer que há outras riquezas pra se desfrutar, afinal ninguém fica com ouro em casa, converte-se em dinheiro e gasta,assim parece ser mais vantajoso!
No final das contas em meio a tantas críticas se transformou em algo além de humano, algo que deixa sua ferramenta no bolso e sua vida no quarto sob paralisia corporal e rotatividade mental enquanto o mundo se suicida aos poucos. Assim termina o dia, o ônibus desliga e o Skype fecha.